Meus Olhos

" As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor. Aprendemos palavras para melhorar os olhos."
*Rubem Alves*

Olhares Diversos

1 de nov de 2010

A Minha Dor

A minha Dor é um convento ideal
Cheio de claustros, sombras, arcarias,
Aonde a pedra em convulsões sombrias
Tem linhas dum requinte escultural.
Os sinos têm dobres de agonias
Ao gemer, comovidos, o seu mal...
E todos têm sons de funeral
Ao bater horas, no correr dos dias...
A minha Dor é um convento. Há lírios
Dum roxo macerado de martírios,
Tão belos como nunca os viu alguém!
Nesse triste convento aonde eu moro,
Noites e dias rezo e grito e choro,
E ninguém ouve... ninguém vê... ninguém...

Florbela Espanca

2 comentários:

Doce Melodia disse...

Tenho um carinho especial pela Florbela... eu chego até a tocá-la, entendê-la... por um momento... sei bem dessa dor doce... que dói mesmo assim.

Cristiane disse...

Álly, são poucas pessoas que gostem de Florbela. Ela tem poemas lindos e extremante tristes. Mas tudo é a maneira como nós o lemos.