Meus Olhos

" As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor. Aprendemos palavras para melhorar os olhos."
*Rubem Alves*

Olhares Diversos

16 de nov de 2010

Foi um momento
O em que pousaste
Sobre o meu braço,
Num movimento
Mais de cansaço
Que pensamento,
A tua mão
E a retiraste.
Senti ou não?
Não sei. Mas lembro
E sinto ainda
Qualquer memória
Fixa e corpórea
Onde pousaste
A mão que teve
Qualquer sentido
Incompreendido,
Mas tão de leve!...

Tudo isto é nada,
Mas numa estrada
Como é a vida
Há uma coisa
Incompreendida...

Sei eu se quando
A tua mão
Senti pousando
Sobre o meu braço,
E um pouco, um pouco,
No coração,
Não houve um ritmo
Novo no espaço?
Como se tu,
Sem o querer,
Em mim tocasses
Para dizer
Qualquer mistério,
Súbito e etéreo,
Que nem soubesses
Que tinha ser.

Assim a brisa
Nos ramos diz
Sem o saber
Uma imprecisa
Coisa feliz.

Fernando Pessoa

5 comentários:

AC disse...

A brisa desperta sempre algo, nem que seja o seu vislumbre...

Beijo :)

Ingrid disse...

Este é Fernando Pessoa!
maravilhosa escolha Cris!
beijo e boa semana querida.

Dario B. disse...

Essa sensação é indescritivel, mas o Pessoa conseguiu chegar bem perto. Por isso o considero fantástico. Um beijo.

Cristiane disse...

Concordo. Pessoa é maravilhoso. Não foi à toa que ele era vários...Rs

Magno Mustang disse...

me senti feliz ao ver tal texto!